Já foram a filha e o pai, agora é a vez da mãe: “Mother – A Busca pela Verdade”

Mother/Madeo. Coreia do Sul, 2009. Diretor: Bong Joon-ho. Com: Kim Hye-ja, Won Bin. 129min.

Já na segunda semana do segundo mês de 2010, eis que enfim adentro pela primeira vez no ano uma salinha escura (refiro-me a salas de cinema, mesmo, pois frequento bastante a sala aqui de casa, que há muitas noites, a exemplo do que ocorre com o quarto, teima em permanecer nas trevas). O filme foi comentado por alguns de vocês no blog da Mostra. Confirmo a excelente impressão que lhes ficou. A partir de um roteiro cheio de reviravoltas e enganos impostos ao espectador pelo desenvolvimento da narrativa, trata-se de um filme cheio de méritos, seguro, inteligente, que se vai tornando mais e mais interessante no decorrer da projeção.

A debilidade mental do filhinho serve, na trama, como metáfora para o vínculo de dependência  que costumam criar em suas desafortunadas proles as mamães, esses seres tantas ou algumas ou quase todas ou todas as vezes pautados pela falta de limites, sempre dispostos a patrocinar ou protagonizar intervenções que ignoram as fronteiras do bom-senso e até mesmo da moral. Enveredando por essa linha de interpretação implacável, o filme foge a esquematismos e lições edificantes de fácil apelo.

Não vi o aclamado “O Hospedeiro”, que parece ser outro desses títulos do Extremo Oriente que têm reinventado e revigorado o cinema de horror/suspense (gênero que, ao contrário de vocês, me interessava – e continua interessando – desde tenra idade). Consideradas ainda as qualidades apresentadas no melhor dos episódios de “Tokyo!”, desponta mais um nome para acompanhar com atenção daqui pra frente. Esse Bong Joon-ho é do ramo.

AVALIAÇÃO: Muito bom

Anúncios