Dos Cavaleiros do Após Calipso ou Concreto Poema Marginal

Leminski enrolava o bigode,
Zé descia a Rua Augusta.
Incrédulo, mirava o bar.
Lá já estava Cacaso.
Chacal parou prá dar uma palha.
Ramiro gritou lá dos fundos:
– Recite algo que o valha!
Na esquina oposta,
Haroldo, Décio e Augusto.
Atrasado, pulando do ônibus,
Luís tropeçou de susto
ao ver tantos poetas.
Jorge apareceu e
logo de cara, um dilema:
– Fico no sarau ou
vou ao cinema?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s