1001/221 – Can

Can – Tago Mago (1971)

“Aumgn”, inspirada em Aleister Crowley, leva o experimentalismo ao extremo. O vocal mantra do tecladista Irmin Schmidt é envolvido por um ambiente sinistro. A faixa de encerramento, “Bring Me Coffe or Tea” é um alívio, depois de todos esses testes de resistência musical.

O Can, ao lado de grupos como Kraftwerk e Faust – que faziam uma fusão entre os primeiros experimentos eletrônicos de Stockhausen e o art rock do Velvet – mostrou que as bandas de rock da Alemanha estavam começando a achar uma identidade. Mesmo depois de 30 anos, Tago Mago soa contemporâneo e gloriosamente radical.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s