Nova York, Eu te Amo

New York, I Love You. EUA/França, 2009. Direção: Fatih Akin, Yvan Attal, Allen Hughes, Shunji Iwai, Wen Jiang, Joshua Marston, Mira Nair, Brett Ratner, Shekhar Kapur, Natalie Portman e Randall Balsmeyer (transições). 110min

Boa

Segundo projeto do produtor Emmanuel Benbihy, iniciado em 2006 com Paris, te Amo, e que deve se estender ainda a longas filmados em Xangai, Jerusalém e Rio de Janeiro. Discordo da avaliação geral feita por alguns dos senhores e pela crítica. É um filme que, se não traz inovações formais, ao menos vem com uma proposta de apresentação atípica nessa onda de filmes de episódios – os dez segmentos de “New York” se entrelaçam e transcorrem em linha narrativa contínua, sem separações estanques (um diretor foi escalado para cuidar apenas das transições). E o resultado final é bastante satisfatório, apresentando momentos que até beiram o sublime. É o caso, no que agora me ocorre, de pelo menos três dos episódios: o dirigido por Shekhar Kapur, em que uma ex-cantora retorna a um hotel de propriedade de um antigo fã e o filho dele, que se encarrega da recepção à senhora; o do diálogo entre um casal de idosos sobre a questão da passagem do tempo, filmado por Joshua Marston; e o de Fatih Akin, que dirige a história da obsessão de um pintor por uma mocinha de origem asiática.

Ainda que a obra tenha a ver com uma imagem particularmente associada à megalópole (“Nova York é a cidade das oportunidades”, “onde tudo é possível” etc.), os temas explorados remetem mais uma vez, a exemplo do que ocorre nessa onda de filmes sobre megalópoles, a questões de sentido universal, e que, portanto, poderiam se passar em qualquer cidade, ou pelo menos em qualquer cidade grande do mundo. No caso, o objeto comum abordado pelos episódios do filme são as relações afetivas em vários níveis – o fraternal, o conjugal, o sexual, o filial.

Curiosidade: Nova York, Eu te Amo possuía originalmente dois episódios adicionais, dirigidos, um, pela Scarlett Johansson, e o outro, pelo realizador russo Andrei Zvyagintsev (do espetacular O Retorno). Essa versão estendida chegou a ser exibida no Festival de Toronto em 2008, mas o produtor decidiu excluir aqueles dois segmentos das cópias lançadas nos cinemas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s