Férias

Demorei a me achar no Guarujá. Íamos muito pra lá com Jorge pai e família, ficávamos em uma casa cinematográfica, de frente pra praia, mas uma praia se não feia, suja, o que estava minando o meu tesão por mar. Há algum tempo, ambos ainda na Sulina, nos vimos sem prole no final do ano e fomos só eu e o Jorge, aproveitando então pra caminhar e pra fuçar ali a região. Descobrimos lugares bastante bacanas, “nossos” agora. O mais próximo é a Praia do Éden, logo no início da Estrada de Pernambuco, dentro do condomínio Sorocotuba. Uma praia pequena, cercada por mata nativa, com eventuais visitas de tartarugas, um bar que abre super tarde e que, “se estiver fechado é só gritar” que o povo aparece. A paisagem é linda, ficamos tranquilos porque não há para onde a prole fugir (se bem que outro dia quem deu trabalho foi o amigo Ramiro que quase se afogou). Nessa praia fica um rapaz, Cleber – pai da Marina e do Henrique – que é de São Vicente mas vai até ali para conduzir os interessados pagantes a um passeio de barco (a remo) até o Costão das Tartarugas. Figura bacana, deixou a pequena Marina conosco enquanto trabalhava, já levou o Yan a um passeio estendido e se ofereceu pra ficar com ele se precisássemos. E nessas fizemos mais amigos por ali. Outro lugar muito bonito, mas com um mar mais bravo, é a Praia Branca que fica depois de uma trilha, onde se pega a Balsa para Bertioga. A trilha é puxadinha (a Alice não curte essa praia por conta da caminhada), mas bem cuidada, com calçamento e corrimão em alguns trechos. Se a maré está baixa, dá para caminhar até uma ilhota em frente à praia que fica no canto. O bar é bacana. Além dessas, visitamos da última vez a Praia de São Pedro, num condomínio, também na Estrada para Bertioga. Chato para entrar – controlam o número de carros -, não há bar ou qualquer comércio, portanto, não dá pra ficar muito, mas não há como não ficar extasiado. A paisagem é linda (estava sol, o que deixa tudo mais belo), o mar é bravo, diferente das outras. Curtimos muito. Dezembro e janeiro foram meses com muito sol, muita praia bonita, muito mar (agora menos mar, porque o que engoli de água deve fazer frente ao que a chuva tenta repor). Podíamos dia desses, combinar algo por lá. Agora é sampa de novo, trabalho, colégio. Em frente!

Anúncios

3 pensamentos sobre “Férias

  1. 1. Eu jamais teria me oferecido para dar vexame na tal praia se soubesse que ela fica dentro do condomínio Sorocotuba.
    2. Quero detalhes sobre essa sua prática de enxugamento de mares.

  2. É, você é muito oferecido mesmo. Não se pode pensar em situação vexatória que lá está você a se oferecer para vivenciá-la. Abre espaço pros demais, moço! Dessa última feita, sem você por lá, houve oportunidade para o Jorge fosse arrastado até a areia, o Yan “lutou” com as ondas e eu, na verdade, não sei ainda o que houve, mas engoli bastante água.

    • A ideia de abrir espaço pros demais não me agrada. Mas, levando em conta a sua narrativa e o histórico da família toda, imagina se eu o fizesse.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s